Boas razões para adoptar um cão

O número de cães e gatos abandonados em Portugal é demasiado elevado. É alarmante e existe uma percentagem muito pequena de pessoas que se preocupa com estes dados. Todos os anos, são abandonados milhares de animais nas ruas do nosso país principalmente quando chega a época do Verão e das férias.

Não se trata só de um acto de cobardia e de maldade, mas trata-se de um desrespeito pelos direitos dos animais. Existem algumas organizações no nosso país que têm como objectivo a recolha desses animais de rua e que lhes tentam dar o melhor tratamento enquanto lá permanecerem. Como é do conhecimento de toda a gente, esses canis são organizações sem fins lucrativos e vivem das doações e da boa vontade de quem quer ajudar. É certo que todas nós nos babamos com um cachorrinho bebé em casa mas os animais em canis estão só à espera duma oportunidade para fazer uma família feliz. E de alguma maneira, já passaram por tanta coisa que merecem essa oportunidade. Assim, e porque há que sensibilizar as pessoas a salvarem um bichinho, vamos tentar dar razões para que ponderem a adopção de um novo membro aí para casa.

Uma das melhores razões e provavelmente a mais comum para se adoptar um amiguinho é, certamente, o companheirismo.  Um cão não se importa onde está consigo: se em casa, na rua, no carro, à chuva ou ao sol. O cão quer a companhia do seu dono e está feliz apenas porque está ao seu lado. E embora ele não fale, a realidade é que percebe tudo o lhe disser. Não consegue discutir consigo qual a cor que lhe fica melhor nos lábios ou se deve fazer frango ou atum para o jantar mas a realidade é que se falar para ele, ele vai responder-lhe com aquelas orelhas em alerta e um focinho muito esperto.

Um cão também faz com que tenha mais actividade, quer queira quer não. Passear um cão é um benefício para si. Pratica actividade cardiovascular, perde umas calorias extra e ainda apanha ar. E toda a gente sabe que um cão adora correr atrás duma bola, certo? Então pense no exercício que não faz se brincar com ele 5 minutinhos de vez em quando. Anima-se e anima o seu amigo. Já para não falar, que o seu cão tem um instinto de protecção muito grande em relação aos seus donos. Um cão detecta o mal, reage e consegue alertar-nos para uma situação irregular.

Embora pareça estranho, a realidade é que um cão melhora a sua disposição. Os cães são animais muito inteligentes e têm atitudes tão engraçadas como um humano. Atitudes essas que nos fazem rir, que nos fazem querer abraçar o nosso companheiro e que nos fazem esquecer que até tivemos um dia mau. É certo que nem todos os cães têm o mesmo dom para a disciplina, claro. Da mesma maneira que nem todos os humanos são calmos ou perspicazes, os cães também têm personalidades diferentes e uns são mais preguiçosos, mais irrequietos ou mais resmungões do que outros. No entanto, é tudo uma questão de adaptação. Nos canis, 90% dos cães que lá estão albergados são adultos. São personalidades formadas, são feitios já construídos mas um cão mais velho é um cão que já tem mais sentido de responsabilidade, que já sabe o significado da palavra “Não”, que já tem a dentição formada e portanto já não tem tendência a roer tudo lá em casa.

Adoptar um cão dum canil, é definitivamente um acto de amor. É dar um lar a quem já foi abandonado e maltratado. É ter tempo para si e para a sua família (porque um cão adulto exige menos cuidados) e é ter bons momentos quando o passearem e quando brincarem com ele lá em casa. Adoptar um cão é ter em casa um elemento que percebe quando estamos bem ou mal e definitivamente, é um bicho que nos vai ser leal incondicionalmente.

5 Comentários

  1. Leandra Mauricio pelo Facebook Abril 14, 2011
  2. Ascensao Beja pelo Facebook Julho 21, 2011
  3. Fernanda Machado pelo Facebook Janeiro 12, 2012
  4. Rosa Simoes pelo Facebook Janeiro 29, 2012

Deixa Um Comentário