Cancro do ovário – esteja atenta

De todos os cancros ginecológicos que afetam as mulheres este é considerado o mais letal. Por norma, quando este tipo de tumor aparece, tende a espalhar-se para os tecidos e órgãos das proximidades podendo até espalhar-se pelo sistema linfático.

As mais afetadas são as mulheres na altura da menopausa, no entanto existem outros fatores de risco. As mulheres que por norma têm tendência para este cancro são mulheres que possuem uma mutação ao nível de dois genes no organismo (também responsáveis pelo risco associado ao cancro da mama).

Para além do fator genético, a obesidade foi um aspeto comum na maioria das mulheres vitimas deste cancro. Um risco maior é também associado a mulheres inférteis ou que nunca engravidaram, e também a quem tem historial na família de cancros da mama, útero ou ovários.

Tal como em muitos casos de outro tipo de cancros, este cancro é silencioso só se manifestando fisicamente quando já está em grande estado de desenvolvimento. No entanto, e porque podem sempre existir exceções, existem alguns sinais a que pode estar atenta e que podem ser indícios de um cancro ainda em fase inicial do desenvolvimento:

  • Sensação contínua de inchaço na zona abdominal.
  • Prisão de ventre, gases.
  • Dor no abdómen ou pélvis.
  • Grande sensação de cansaço
  • Algumas mulheres referem que tiveram hemorragias vaginais invulgares.

Por isso, se tem ou conhece quem tenha estes sintomas diariamente e durante mais de 3 semanas, é obrigatório consultar um médico.

Algumas organizações a nível mundial que estudam e apoiam a luta contra o cancro, dizem existir uma diminuição das taxas de cancro do ovário em mulheres que consomem muitos vegetais, não fumadoras, que já amamentaram, que tomam a pilula há muitos anos e que laquearam as trompas.

Para todas as mulheres, independentemente da idade, estilo de vida e de apresentarem ou não fatores de risco, devem consultar todos os anos (sem falta) um ginecologista. É a melhor arma contra o cancro.

Deixa Um Comentário

Tags: ,