O perigo de viver para as aparências

As aparências enganam, sobretudo quando falamos da primeira impressão e talvez até de um primeiro encontro. Nem sempre somos verdadeiros e isentos de “máscaras” na nossa vida. Usamos “uma máscara” para agradar aquela pessoa, usamos outra para não falar com a outra. Quando damos por nós, toda a nossa vida são máscaras e existem até pessoas que se esquecem de como são realmente e qual o seu verdadeiro eu.

O problema é quando se vive para as aparências e quando toda a nossa vida é um grande “teatro”, onde procuramos mostrar aos outros aquilo que não temos. Aí sim começa o perigo de viver para as aparências. Deixamos de ser nós. Deixamos de viver como queremos. Compramos o que não queremos. Tudo para mostrar a alguém que também podemos, talvez que também temos posses e que também conseguimos chegar onde os outros chegam, mesmo que tudo não passe de uma encenação.

viver para as aparências

Porque razão algumas pessoas vivem para as aparências

  • Para se sentirem superiores – Muitas pessoas vêm na imagem e na aparência um potencial sinal de superioridade. Ao sentirem-se poderosas tanto a nível físico como psicológico conseguem uma maior auto-estima. O problema é que esta é apenas uma superioridade enganosa e que muitas vezes não retrata a realidade. A grande parte das aparências não passam disso mesmo, de simples distorções da realidade que só servem não só para enganar os outros mas também a própria pessoa.
  • Para mostrarem algo que não têm – Existe também a necessidade de algumas pessoas mostrarem bens materiais ou outros que não conseguem ter. Este ponto advém também do anterior, nomeadamente na necessidade de superioridade que é conseguida ao mostrar-se algo que não se tem ou não se pode ter. Mostrar o que não se pode é para além de um engano um grande sinal de falta de auto-estima.
  • Para se valorizarem – A auto-estima é precisamente um dos pontos que mais leva as pessoas a viver para as aparências. A necessidade de se sentirem valorizadas pelos outros é muito importante para este estilo de vida. Mostrar o que não se tem através de mentiras é fácil. Basta parecer uma pessoa confiante, ganhar a confiança das outras pessoas e usar as armas certas. O problema será quando chegar a casa e perceber que é tudo invenção da sua cabeça. Para além disso, nem todas as pessoas são tão burras assim, para não perceberem o esquema.
  • Para impressionar os amigos – Impressionar os outros é também um dos objetivos de quem vive para as aparências. Ter um carro novo, uma casa, ou um estilo de vida fora das possibilidades só para impressionar e agradar a amigos ou conhecidos é um grande erro pois para além de não ser verdade está a enganar as pessoas a sua volta, correndo o risco de cair em descrédito por parte dessas pessoas. Nas relações é importante uma grande partilha e sinceridade e viver das aparências é um passo importante para perder todos os seus amigos.
  • Para se enquadrar nos padrões da sociedade – Há quem viva para as aparências com o intuito de se enquadrar e inserir na sociedade, o que as leva a ter comportamentos que não são característicos da pessoa em questão ou que são fora as suas possibilidades. Enquadrar-se na sociedade não é questão de possuir determinados bens mas sim do seu percurso e da pessoa em questão e os seus valores. Leia também [A beleza nos dias de hoje]

Consequências de viver para as aparências

  • Perca da sua identidade – Onde fica a sua personalidade no meio disto tudo? Onde fica o seu verdadeiro eu? Vai querer ser sempre a pessoa mentirosa para o resto da sua vida, porque custa demasiado admitir que não tem o que os outros têm? Qual a vergonha nisso? Não será pior quando descobrirem que tudo o que possa dizer que tem ou faz é falso? Isso sim seriam uma vergonha…
  • Viver para impressionar os outros – Se viver para impressionar os outros, mais tarde ou mais cedo vai acabar por deixar de viver a sua vida e viver a vida dos outros. Vai viver para eles, para os impressionar, para deixar uma boa marca. Vai criar mentiras. Arranjar esquemas. Tudo para não ser descoberto e para se encontrar sempre por cima. O problema é que nesse jogo de fantasia, vai deixar cada vez mais a sua vida para trás, por se preocupar demais com o que as outras pessoas pensam ou podem pensar.
  • Acreditar que a mentira é a verdade – Com o passar do tempo e depois de tantas vezes contar uma mentira, ela torna-se verdade, mais não seja na sua cabeça. Com o passar do tempo será isso que vai acontecer. Provavelmente irá começar a questionar-se “o que é real?” ou “onde estou metido”. Pode ser tarde demais quando se encontrar submerso num mundo de mentiras.
  • Viver um mundo de máscaras – Age de uma forma com certas pessoas, assim como age com outras. Arranja desculpas. Inventa mentiras. Tudo para manter o seu jogo e para que nunca descubram que o castelo que mostra, afinal tem paredes de vidro. Ao viver num mundo de máscaras, estará sempre a ter de pensar no que dirá em seguida, para não se contrariar. Nem sempre irá resultar da melhor forma.
  • Perder amigos ao longo do caminho – Todas as máscaras caem e como tal, com elas vão caindo alguns amigos. Ninguém consegue viver com uma máscara para sempre, por mais que seja um bom ator. A verdade vem sempre ao de cima e no final, não poderá esperar ter muitos amigos do seu lado, porque ninguém gosta de ser traído ou enganado. Pense nisso quando procurar enganar as outras pessoas, apenas para se gabar de algo que nunca tenha feito.

O que devo fazer?

  • Não viver para os outros – Em primeiro lugar: Viva para si mesmo. Não deverá sentir a necessidade de agradar a ninguém nem obter as coisas tendo em vista impressionar alguém. Se tiver que realmente impressionar e destacar-se faça-o com os seus próprios recursos pois correrá o risco de ser mal interpretada.
  • Aceitar-se como é – Não vale a pena tentar ser uma pessoa que não é só para tentar agradar a alguém ou adaptar-se ao estilo de vida de uma determinada pessoa / grupo. Se quer algo na sua vida faça-o por si mesma e não crie máscaras que acabarão por cair quando menos espera. Aceite-se como é e não tente ser outra pessoa.
  • Deixar-se de máscaras e mentiras – As mentiras não levam a lado nenhum. Mais tarde ou mais cedo será descoberto, a máscara cairá e as pessoas perderão toda a confiança que poderão ter em si. Seja uma pessoa sincera, faça o bem e por certo terá mais amigos, os amigos que provavelmente deseja e não os amigos que tem de impressionar.
  • Escolher os amigos certos – Se precisa impressionar os seus amigos para que estes não percam o interesse, então provavelmente estará a dar-se com as pessoas erradas. Saber escolher os amigos certos é muito importante para definir a forma como se irá relacionar com os mesmos.
  • Viver na realidade – Por vezes custa viver na realidade, mas deve custar muito mais cair nela. A fantasia é importante, para nos motivar, para nos fazer sonhar, mas deve-se manter sempre na nossa cabeça e não transbordar para a realidade, sobre a forma da mentira. Usem a fantasia para criarem os vossos sonhos e usem a realidade para os concretizar, nunca o contrário.

1 Comentário

  1. Mário Nuno Martins de Figueiredo Março 22, 2014

Deixa Um Comentário