Quando o sexo oral não existe

O sexo oral continua a ser um tema tabu para muitas mulheres. A grande maioria da população feminina activa sexualmente tem uma grande dificuldade em falar sobre sexo oral. A verdade é que embora até possamos não admitir ou tentar contrariar os nossos pensamentos, todas nós gostamos de sexo oral e todas temos imenso prazer com isso. O problema é que quando não temos sexo oral, também não falamos sobre o assunto e preferimos ficar sem isso.

Há provavelmente quem ache que o sexo oral não é tão importante para as mulheres como para os homens, mas é mentira. Da mesma maneira que um homem adora um bom sexo oral, a mulher sente o mesmo. A diferença é que as coisas não são medidas da mesma maneira. O sexo oral feminino é quase sempre considerado secundário em relação ao resto.

E não, não estamos a culpar os homens por isto. Há inúmeras mulheres que não se sentem nada à vontade quando o parceiro lhes faz sexo oral. O mito de que se trata duma zona suja há-de, infelizmente, permanecer para muitas pessoas. Não estar à vontade faz com que o seu parceiro note isso e tenha por isso, menos vontade de a estimular assim. Obviamente que há mulheres que não pensam assim, e acabam por ter maridos e namorados que têm essa opinião sobre o órgão genital feminino.

Os mitos têm de ser desfeitos: a nossa zona genital não é um órgão sujo. É um órgão que produz fluidos e que com estimulação (mesmo que não localmente) se torna húmido. Se as mulheres mantiverem uma boa higiene íntima e cuidarem bem da zona V, esta é tão limpa como outra parte. Se por algum motivo, continua a achar que é uma zona suja, porque não aproveitar um bom banho para deixar que lhe dêem prazer? Aí não há como alegar sujidade, certo? Ou então, iniciem os preliminares com isso. Não subestime o seu prazer!

Lembrem-se também que nós, mulheres, somos muito mais “complicadas” a nível de estímulos. Por vezes, para termos orgasmos, o coito só por si não chega. Há imensas mulheres que chegam muito mais depressa ao orgasmo pela estimulação oral do que pela penetração. É isso que tem de entender. Se não gostar que lhe façam, é uma coisa. Se tiver vergonha, liberte-se. Acredite que o seu parceiro adora dar-lhe prazer. Se é o seu companheiro que não gosta ou não lhe quer fazer, então não estamos aqui a dizer para lhe implorar mas sim para lhe mostrar que isso é tão essencial para si como a masturbação.

O essencial neste aspecto é a comunicação. Se tem uma intimidade absoluta com o seu parceiro e se podem falar de tudo sinceramente, fale-lhe disto. Claro que não podemos obrigar ninguém a nada mas nada como conversar. Lembre-se de manter uma higiene cuidada nessa zona para evitar odores mais fortes e não use lingeri sintética para não causar irritações. Se notar algum corrimento diferente, algum odor estranho ou alguma dor, contacte o seu médico. Acima de tudo, não se iniba e não deixe de ter prazer, sim?

12 Comentários

  1. João Paulo Agosto 17, 2011
  2. Vittoria Saboia pelo Facebook Março 15, 2012
  3. João Ratas Maio 18, 2012
  4. Cibelly Lima Junho 4, 2012

Deixa Um Comentário