Rir é o melhor remédio

O título deste artigo é já um cliché, certo? Só que na realidade, trata-se de uma afirmação com todo o sentido quer moral, quer cientifico. Sempre que sorrimos ou damos uma gargalhada estamos a zelar pela nossa saúde física e emocional. Há inclusive estudos que dizem que estamos a prolongar a nossa vida!

Todas sabemos que algumas mulheres têm mais sentido de humor e são mais sorridentes por natureza do que outras. Até sabemos que é praticamente impossível alguém andar com um sorriso na cara todos os minutos que anda acordado. Mas as pessoas que têm por hábito não rir, deveriam repensar essa atitude e perceber que o riso nos faz bem. Não lhe estamos a pedir para se esquecer dos seus problemas, daquilo que a incomoda e de alguma situação que esteja a ultrapassar mas mesmo que seja daquelas mulheres que já se ri muito naturalmente, não deixe de o ser. Ter um riso contagiante também provoca o riso em quem a rodeia e isso é fundamental.

O que lhe propomos são algumas dicas para sorrir mais durante o seu dia-a-dia e melhorar muitos aspectos da sua vida. Para iniciar, é importante que saiba que rir diminui consideravelmente a probabilidade de vir a ter uma depressão. Diminui também a tendência para ter insónias e doenças do foro neurológico. Rir consegue aumentar o nosso bem-estar, a nossa auto-estima e ainda nos ajuda a queimar umas calorias extra pois trabalhamos os músculos da cara e os músculos abdominais. É ou não é verdade?

Encare a vida com sentido de humor – ora, não lhe estamos a dizer para não dar importância a coisas sérias, sim? A ideia aqui é não levar coisas insignificantes e que a podem irritar tão a sério. Não encare tudo com a máxima seriedade e seja positiva.

Ria-se de si mesma – bem, este é um clássico mas tem de ser cumprido. Se escorregar e cair (e não se magoar, claro) ou se vestir a camisa do avesso, em vez de se irritar, ria-se! Vai despertar nos outros a ideia de que é muito positiva e que a ansiedade não mora consigo. Quando uma pessoa se ri dela própria é muito bom sinal. É sinal de que não tem inibições e que sabe distinguir uma situação ridícula duma situação mais séria.

Anote programas de riso na sua agenda – dito assim parece um bocado estranho mas o que pretendemos na realidade é qualquer coisa como isto: há uma série que dá num tal canal e que tem alguma personagem que a faz rir, certo? Então anote na sua agenda quando é que essa série passa na televisão. E não se esqueça de a ver. Se sabe que isto ou aquilo lhe dão vontade de rir, faça por não se esquecer dessas coisas. Se o seu cão a faz rir, anote 10 minutos por dia dedicados a brincar com ele e vai ver que ele lhe vai arrancar umas boas gargalhadas.

Não apague as suas memórias – o ser humano por natureza tem tendência a lembrar-se mais rapidamente de coisas más que se passaram do que coisas boas. Inverta isto. Se o seu filho lhe contou uma anedota ou se a sua colega de trabalho lhe contou algum episódio engraçado, vá recordado essas coisas simples e mesmo que vá sozinha no trânsito e as pessoas achem que é doida, não se importe. Ria-se para elas!

Jogue jogos com piada – mímicas e jogos de adivinhas costumam despertar boas gargalhadas em grupo, não é? Mas se não é fã deste tipo de coisas há um jogo muito simples (e muito tosco) que se pode jogar com outra pessoa e despertar uns grandes sorrisos: o jogo do sério. A ideia é ver quem aguenta mais tempo sem se rir e como tal, provoca normalmente o objectivo contrário, o de rir sem parar. Experimente!

Há imensas coisas que a podem fazer levar a vida com um sorriso. Estar rodeadas de pessoas sorridentes é uma óptima ajuda. Ria-se com os seus filhos, com os seus colegas, partilhe emails com piada, vá ao cinema ver uma boa comédia. Há já empresas que divulgam workshops do riso, bem como há quem pratique yoga para sorrir. O importante é olhar-se ao espelho e ter um sorriso para mostrar.

1 Comentário

  1. Ascensao Beja pelo Facebook Julho 21, 2011

Deixa Um Comentário

Tags: ,