Soluções para atitudes erradas no emprego

Somos mulheres trabalhadoras, honestas e bem sucedidas, certo? Se (ainda) não somos, temos todas as competências para o ser. Estamos erradas? Não! Acreditamos que as nossas leitoras têm potencial para estarem no trabalho que desejam. Para além disto, sabemos que não somos perfeitas e que por vezes temos atitudes que deixam um bocadinho a desejar às pessoas que trabalham diariamente connosco.

Somos todas diferentes e reagimos de forma diferente a certas situações. Lidamos de maneira diferente com pessoas diferentes e definitivamente não agradamos a gregos e a troianos. O que vamos tentar transmitir são ideias de como não agir no seu local de trabalho. Por vezes, e certamente que todas concordamos, por muito competentes que sejamos podemos por o nosso emprego em causa sem necessidade nenhuma. Quando der por si a ter alguma das atitudes (mesmo que involuntariamente) que vamos referir de seguida, pense neste artigo enquanto conta até 10. É um bom truque!

  • Atitude 1: “Digo exactamente aquilo que penso!” – Faz parte da sua personalidade ser directa, frontal e sincera. Como se costuma dizer: não é defeito, é feitio! Nasceu assim e dificilmente vai mudar, certo? A realidade é que a nível profissional dizer tudo o que se quer quando se quer acaba por não ser bom. Demasiadas opiniões que não são pedidas ou criticas que podem não ser construtivas acabam por aborrecer quem as tem de ouvir. Fazem-na parecer chata, chica-esperta e metediça. A solução é acima de tudo ser diplomática. Pense que nem todos trabalhamos da mesma maneira e nem todos gostamos do mesmo. Dê a sua opinião quando for pedida e pese o que vai dizer. Se criticar, critique de maneira a auxiliar quem lhe pediu conselhos.
  • Atitude 2: “Ai Teresa, nem sabe o que eu ouvi dizer!!” – Na realidade se ela não sabe, também não deveria ficar a saber, pelo menos por si. Esta politica de cusquisse e do “diz-que-disse” não deveria ser adoptada por si. Mais uma vez reforça-se a ideia: fama de metediça nunca foi boa. A solução é simples, basta não espalhar o que ouviu. Sim, até pode ter ouvido sem ter pedido para tal mas não espalhe. Não sabe se é verdade ou se é só boato, e isso pode prejudicar muito a pessoa em causa e principalmente, prejudica-a a si. Do mesmo modo que não deve espalhar o que ouviu sobre alguém, não espalhe muita coisa sobre a sua vida pessoal porque pode ter precisamente o efeito que estamos a tentar contrariar. Pode até comentar com alguém de confiança uma ou outra situação pessoal, e essa pessoa não ser a única a ouvir. Quando der conta, já meia empresa sabe do que se passou. Seja cautelosa acima de tudo.
  • Atitude 3: “Sim Vasco, já faço isso. Vou só fazer um telefonema.” – Isto é só um exemplo daquela mania de deixar tudo para depois. Há pessoas que são extremamente boas naquilo que fazem e percebem muito do assunto mas são o cúmulo da desorganização. Planeamento de tarefas é uma coisa que raramente é feita e a secretária de trabalho parece que foi atingida por uma rabanada de vento. Preferem deixar o mais trabalhoso para o final do dia (quando já estão cansadas) e interrompem as horas produtivas com telefonemas, sms’s e cafezinhos. Aos olhos dos seus superiores isto pode não ser bem visto. Há atrasos e erros que acontecem em consequência disto mesmo que sejam menos graves. É certo que somos muito sociáveis e gostamos de fazer uma pausa para conversar com algum colega e não está completamente errado, mas não é sempre. Tente organizar o seu dia assim que chega ao seu posto. Estabeleça prazos mesmo que sejam só na sua cabeça. Se for mais esquecida e trabalhar com um computador, este já lhe consegue enviar lembretes para a por a par do que tinha planeado. Use e abuse de post-its mas gira o seu tempo. Vai ver que no final do dia sobram-lhe uns largos minutos para ajudar um colega com mais dificuldade ou para planear o dia que se segue.
  • Atitude 4: “Sim, sou a melhor e o chefe sabe disso.” – Ainda bem que é a melhor. Ainda bem que tem confiança em si e sabe que o que faz é bem feito. É talentosa, bem sucedida e o seu chefe até a elogia quando tem razões para isso mas não precisa de perder a humildade, certo? O que lhe estamos a tentar dizer é que mesmo que tenha a certeza que é a melhor não precisa de andar sempre a dizer o mesmo. Isso faz com que pareça tem a mania da superioridade e deixe alguns colegas intimidados. E confesse, não ia gostar se fosse ao contrário não é? Até pode ser melhor que a Susana que se acha o centro do mundo, mas deixe-se ficar na sua. Mostre o que vale com o seu trabalho e saiba também ouvir opiniões das outras pessoas mesmo que não lhe estejam a ensinar nada. Resumidamente a solução é continuar a confiar no seu trabalho e a ser a melhor mas nunca deixando de ser aquela colega simpática e prestável a quem todos recorrem.

9 Comentários

  1. Paula Felix pelo Facebook Abril 23, 2011
  2. Zira Bragança Agosto 6, 2011
  3. Sara Andreia pelo Facebook Fevereiro 6, 2012
  4. Mariza Guimarães Maio 24, 2012

Deixa Um Comentário